Como é um consórcio funcionando

Este artigo analisa os tipos de modelo jurídico mais comumente usados ​​no trabalho de consórcio e as vantagens e desafios associados a cada forma.

Criação de um novo órgão independente

Uma opção é o consórcio ser formalmente constituído como pessoa jurídica independente. Esta nova entidade pertence efetivamente às várias organizações parceiras e pode licitar e celebrar contratos por direito próprio.

Existem diversos modelos operacionais que podem ser usados, mas o mais comum é a criação de uma empresa limitada por garantia, que também pode ser uma instituição de caridade. Os sócios individuais participantes do consórcio serão os membros da nova empresa.

Existem muitas vantagens em criar uma entidade jurídica independente. A constituição de uma sociedade limitada por garantia permitirá ao consórcio gerir o risco, uma vez que a responsabilidade pelo contrato será transferida para a nova entidade, limitando a responsabilidade dos sócios individuais a um montante nominal. À medida que cada organização parceira se torna membro da nova entidade, os participantes podem sentir que o controle e a propriedade do projeto estão em pé de igualdade, pois nenhum parceiro tem o controle geral.

O acordo também separa as atividades do consórcio das demais atividades dos sócios individuais e facilita a criação de uma nova identidade e marca para a parceria. No entanto, também deve ser considerado que no início do relacionamento, a nova entidade não terá nenhuma reputação anterior ou histórico financeiro para negociar e, portanto, há uma chance de que possa ser percebida pelos comissários como um risco maior do que uma organização com uma marca e reputação estabelecidas.

Custo e recursos são fatores importantes a serem levados em consideração se você estiver considerando esse tipo de modelo. A criação de uma entidade legal separada será mais cara do que outros acordos e exigirá mais tempo e contribuição de todos os parceiros. Um novo documento de governança terá que ser elaborado, e a nova empresa deve ser registrada. Haverá também requisitos legais e de relatórios contínuos para a nova entidade, por exemplo, o preenchimento de declarações e contas anuais, todos os quais exigirão contribuições de cada um dos parceiros regularmente. Portanto, se o projeto for pequeno, ou se destina apenas a ser executado por um curto período de tempo, este arranjo específico pode não ser a opção mais econômica.

Fonte: Reprodução: Pinterest

Consórcio contratual com uma organização líder

Algumas organizações podem preferir entrar em um relacionamento contratual onde uma organização é designada como órgão líder. O órgão principal é então responsável pela gestão do projeto e dos vários membros do consórcio. Este tipo de consórcio não tem estatuto jurídico separado e, portanto, é a organização líder que mantém o acordo formal com o financiador e, portanto, assume o risco. A entidade líder apresentará a licitação do contrato em nome dos membros do consórcio e será responsável pela gestão geral da atividade. Dependendo da natureza do contrato, a organização líder pode entregar partes do próprio contrato e subcontratar outras partes para os outros membros.

Uma vantagem desse tipo de acordo é que pode haver uma percepção de menor risco para os financiadores, pois a organização líder terá uma reputação estabelecida. No entanto, pode ser difícil estabelecer uma identidade e uma marca claras para o consórcio. Esse tipo de arranjo também requer um alto grau de confiança entre os membros e a aceitação de que uma organização, como líder, assumirá um grau mais alto de responsabilidade e controle. Se não houver uma escolha óbvia e natural para quem deve atuar como órgão líder, será necessário considerar qual organização tem a capacidade e os recursos para liderar o contrato.

Subcontratação

Uma organização pode decidir fazer sua própria proposta para um contrato e celebrar o contrato com o comissário. A organização pode então subcontratar partes do projeto para outras organizações que estão em posição de fornecer as habilidades e recursos específicos necessários.

Acordo de consórcio

Qualquer que seja a forma de consórcio escolhida, os direitos e obrigações legais de cada membro devem ser estipulados em um contrato de consórcio, também denominado contrato de trabalho conjunto. O acordo deve definir claramente o escopo do que o consórcio deseja alcançar e identificar os vários membros. Os direitos dos deveres dos sócios devem ser claramente definidos, e como os riscos e responsabilidades devem ser repartidos, se necessário. Se houver uma organização líder, seu papel e poderes devem ser definidos. Também é vital definir a duração do acordo e pensar em como e quando um parceiro individual pode sair do acordo antes do final do prazo, se assim o desejar.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cons%C3%B3rcio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *