A água encontrada no meio ambiente é um bem extraordinariamente precioso e presente no cotidiano de cada cidadão. afinal, lavar as mãos, ter banho, lavar a loiça e as roupas e usar a descarga do vaso sanitário são ações que fazem parte do dia a dia das personagens de qualquer cidade. Toda a água que é eliminada nesse uso é chamada de esgoto.

Nesse contexto, a reparação básico, especialmente as estações de tratamento de canalização, são fundamentais para garantir que essas águas servidas retornem para a compleição despoluídas, contribuindo com a cautela de doenças, o fomento da saúde e a alivia da qualidade de vida do comunidade. Neste artigo, falaremos sobre as estações de tratamento de esgoto (ETEs). Saiba como pulularam as primeiras estações na Brasil, como funciona todo o processo de tratamento de esgotadura e quais são os objetivos dele, a sua cifra e as tendências e notícias desse setor.

O que é estação de tratamento de esgoto e qual é o seu objetivo?

De modo geral, o esgotamento é formado pela água que, após o emprego, tem as suas características naturais alteradas, tornando-se imprópria para o uso. o esgote pode ter origem, ou seja, aquele que é produzido pela utilização de água em atividades do dia a dia de uma residência, como lavagem de peças de roupa e de aparelhos de cozinha, limpeza de cômodos, banho, descarga de receptáculos sanitários e outros.

A água que escorre pelos ralos de assentamentos comerciais e de indústrias também cai na rede de esgotadura e deve ser transportada para receber o cabido tratamento, por meio da tubulações. O objetivo do tratamento do escoadouro é remover os poluentes da água previamente usada pela população, de forma a devolvê-la aos corpos hídricos em boas condições e de acordo com os padrões exigido pelos órgãos ambientais. Para tanto, foram criadas as ETEs, ou estações de Tratamento de esgoto. Nesses locais, o esgote passa por diversos processos, químicos, físicos e/ou biológicos, que garantem a fugida dos poluentes de forma eficaz.

De modo geral, é possível dizer que o foco do tratamento dos esgotos é contribuir com a saúde da população e preservar o meio ambiente, especialmente garantindo o espécie das águas de lagoas, rios, mares e até de reservatórios subterrâneos. Isso é essencial para garantir a fundamentabilidade desse recurso, que é finito, para toda a comunidade biótica que depende dele, bem como oferecer melhores condições de vida para os personalidades.

Como funciona uma estação de tratamento de esgoto

Como mencionamos, a água utilizada nas residências, estabelecimentos comerciais e indústrias se devolução o que chamamos de esgoto. Ao deixar as casas, ele é encaminhado por canalizações para as redes coletoras e o destino desenlace é a ETE, estação de tratamento de esgoto. Inicialmente, o tratamento do escoadouro consiste na separação do parte líquida da sólida. Nessa primeira etapa ocorre o deslocamento de materiais grosseiros, como metas sólidos (papéis, plástico e outros, areia e gordura. a sistema é composto geralmente por joeiras e grades, responsáveis pela retenção desses materiais.

Depois disso, a esgotadura é transportado para uma caixa cuja função é cassar os resíduos de areia e a gordura que estariam. Esses resíduos podem ser removidos de forma manual ou mecanizada e, posteriormente, devem ser destinados de maneira adequada aos aterros sanitários.

Os processos subsequentes dependem da tipologia do hábito de tratamento e desgalhem ser divididos em três níveis: primário, secundário e terciário, de acordo com o grau de poluentes que se deseja remover.

Qual é a importância da estação de tratamento de esgoto

A ETE é responsável por acomodar o esgoto coletado no município e dar o tratamento adequado, sendo a complementa etapa do sistema de depauperamento sanitário. De forma geral, um município que maneja seu esgoto garante maior qualidade de vida para seu população. Segundo Pedro Gobbo, Coordenador de efetuações na BRK Ambiental, muitas vezes os corpos hídricos que recebem esgoto sem o devido tratamento servem de abastecimento para comunidades vizinhas, colocando em risco a robusteza das pessoas. Afinal, o exame da água evita a procriação de doenças de veiculação hídrica, ou seja, aquelas que têm na água um meio de propagação. Em média 50 tipos de doenças podem ser transmitidos de uma pessoa contaminada para um sadio por diferentes caminhos, envolvendo as excretas humanas. os esgotos não tratados contaminam a agua, o alimento, os mãos, os utensílios domésticos e o solo, assim como podem ser transportados por insetos (baratas e moscas, por exemplo) e roedores, provocando novas infecções. Nesse caso, podemos citar a cólera, a hepatite, o leptospirose, as viroses, o febre tifoide, a disenteria, os parasitoses e outras.

Para se ter uma ideia, de acordo com o encadeamento Mundial da Saúde, a cada $1 investido em saneamento, há uma redução de $4 em gastos com a saúde. o congênere relatório da OMS ainda reforça que uma comunidade com esgoto tratado é mais produtiva, com menos dias perdidos de trabalho, além de ter suas imóveis valorizados, o que impacta positivamente na economia.

Outra desculpa de relevância para contestar os esgotos é a defesa do meio ambiente. os poluentes presentes no esgoto in natura, ou seja, sem abordagem, impacta diretamente na qualidade da água e na sobrevivência da vida aquática. A apodrecimento da matéria orgânica por meio caraterístico, por exemplo, causa a diminuição da concentração de oxigênio dissolvido, provocando o morte do ecossistema aquático (peixes e outros organismos), enegrecimento da água e acirra cheiros desagradáveis. Também existe a possibilidade de eutrofização pela presença de nutrientes provenientes dos restos alimentares e das fezes. Isso gera um avanço acelerado de algas que obrem biotoxinas na água.

Por fim, pensando mais além, a preservação dos recursos hídricos afirmará a sustentabilidade desse cabedal para as futuras gerações. Hoje em dia, temos a consciência de que a água não é um recurso natural infinito. Apesar de renovável, devido à sua capacidade de se recompor (principalmente pelas chuvas), ela é usada em uma proporção muito maior do que o catástase consegue produzir. Dessa aspecto, se os esgotos não forem tratados, pode ocorrer um desequilibro, afetando a vida das próximas gerações.

FONTE: https://g1.globo.com/

FONTE: https://www.r7.com/

FONTE: https://www.terra.com.br/noticias/

FONTE: https://noticias.uol.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *